Academia Trindadense de Letras Ciências e Artes

       Foi idealizada pelo professor e escritor Bento Alves Araújo Jayme Fleury Curado e oficialmente fundada em 20 de agosto de 1990 com reunião na casa "Colemar Natal e Silva" em Goiânia, sede da Academia Goiana de Letras. A ata de fundação foi lavrada pela hoje sócia Honorifica Maria Emidio Evangelista, que mais tarde, também foi sua Presidente.

       Presidiu esta sessão de fundação o escritor Bento Alves Araújo Jayme Fleury Curado, auxiliado pelos Acadêmicos Colemar Natal e Silva, Rosarita Fleury, José Mendonça Telles, Geraldo Coelho Vaz e Maria Emidio Evangelista.

       A sessão solene de posse aconteceu em 02 de maio de 1991 na Subsecretária Regional de Trindade onde funcionou por determinado tempo, sob a aquiescência da então Delegada de Ensino e Acadêmica Maria Mendanha e depois no Sobradinho da Rua 16 de julho sede da Biblioteca Pública Municipal Padre João Cardoso de Souza, Época em que recebeu apoio do então Prefeito Municipal, Pedro Pereira da Silva.

       Depois funcionou na residência do escritor Bento Fleury, na Praça Constantino Xavier, logo após uma perseguição política insuflada na Secretaria Municipal de Cultura e, mais tarde, ainda no Educandário Santa Terezinha até 2004, pela disposição da Acadêmica Iraci Borges.

       Tempos depois, pelo esforço desta destacada professora e pelo auxílio da Sócia Benemérita Lizenor Lizete Meirelles Lewergger e Bento Fleury na idealização da solicitação, e, assim, pelo desvelo dos Acadêmicos Antônio Alves de Carvalho e Maria Geralda de Carvalho e pelo apoio do Dr. Floriano de Freitas e de todos os demais acadêmicos, fomos instalados na casa de Cultura Gabriel Alves de Carvalho, na Avenida Manuel Monteiro, com o esforço extraordinário da acadêmica Iraci Borges na reforma da casa.

       No ano de 2013, após desentendimentos, o acervo da Academia Trindadense de Letras foi retirado da Casa de Cultura Gabriel Alves de Carvalho e acomodado, sob lona, no pátio da Faculdade União de Goyazes, sob custódia do então presidente Wilson Alves de Paiva, até que, em 2015, após convênio e comodato firmado entre a Academia Trindadense de Letras e a AFIPE, com o firme apoio do Padre Robson de Oliveira Pereira, a ATLECA encontra-se sediada numa casa na Rua 01, do Bairro Santuário, entre as Ruas 04 e 06 do referido bairro, continuando suas atividades culturais.