ATLECA

Publicações

MINHA AMIGA APELIDADA DE TATU

Tatu, bichinho bravo, astuto, esguio,

Ai do que ousar pegá-lo – nem o tente.

Traquinas, calculista, audaz e frio,

Uma vez assustado, sai da frente.

 

Tenho uma amiga Tatu – já se viu!

Aparenta ser tal e qual a gente,

Tente agarrá-la – puta que o pariu,

Um drible, dois, sumiu – e de repente.

 

Tentar gostar dela é perder seu tempo,

A seu modo amorosa, nos dá alento,

Tonta, porém, se entoca, igual tatu.

 

Uau!...Meu Deus do céu, que contratempo!

Tatu se caça fácil - que tormento!

Ao enfiar-se um só dedo em seu cu!