Publicações

Poema Histórico

O tempo

Corre como vento

Tempestade.

Variações de uma vida

Com outras vidas cruzadas

Ultrapassadas

No túnel do tempo

Majestade.

Como o vento

O tempo

Vai e vem

Cruzando reinos e fronteiras

Das temporalidades

Das identidades

Sem linearidades

Que não convêm.

Por que o ontem não pode ser o hoje

Ou o amanhã o sonho do passado

Nas materialidades

Que as vidas contêm?

Sobejam fatos...

Puro casuísmo

Ou heroísmo de fato?

Críveis registros

Ou notas de um documento barato

O fato

É que os momentos

Não podem ser apreendidos

Como memória

Posta

Registrada

Resposta.

Glória

E musa dos pitagóricos

A memória é recordação

Rememoração criativa

Do coração

Reverberação ativa

Eterno refletir

Do passado vigente

Do presente intermitente

E do que está por vir.

Gratidão cordial

É dependurar retratos

Ainda que desgastados

Pelos tratos

E maltratos

Na edificação inconteste

Do memorial.

Memória oral

Memo oral

Maiorial

Fim.

A memória originária

É o tempo de toda idade

O espaço da liberdade

Fluido na meterialidade

Da criação e da invenção do ser

Sem fim.