Publicações

Vozes da tarde goiana

Escuto o som silencioso e mudo

Da árvore solitária ao entardecer.

 

Sua voz ecoa por todo o cerrado

A dizer tanta coisa, de um tempo passado.

 

Emoções várias falam pelos poros da árvore

Por todas as cascas rugosas,

Há chorosas sensações.

 

 

Árvore fala por todo canto

Pelas raízes salientes, pelos galhos pendentes,

Fala pela voz inaudível,

Carregada de encanto.

 

Na tarde goiana, há vozes,

Ecos de verdes e farfalhantes multidões.

Sertão. Sertões!