Publicações

LÍDERES VERDADEIROS OU FALSOS

No Brasil estamos formando muito mal os nossos líderes, pois constantemente os perdemos para o tráfico de drogas, gangues; já outros estão envolvidos no consumismo desenfreado, passando a maior parte de seu tempo em shopping ou atividades de lazer, com isto não conseguem ter um caráter forjado à altura para conduzirem suas próprias vidas na direção correta e muito menos, quando são chamados para maiores desafios, têm condições de realizarem, mas são frágeis e se entregam a qualquer aventura ou projeto que pareça consistente, porque se tornaram hedonistas, imediatistas durante a sua "formação", e assim não tem a capacidade de discernirem entre a mão esquerda e a direita. Ou seja, são rasos demais devido à má formação que receberam de nós que estamos a frente dos mais novos. Talvez o que está acontecendo é que os novos líderes realmente não são treinados no Brasil como deveriam ser, mas eles acontecem por acaso e isto tem refletido negativamente na política e em todas as áreas da sociedade brasileira, pois em todas as áreas estamos presenciando corrupções e escândalos terríveis. Por isso, afirmo que o que vem acontecendo é apenas o reflexo do que ocorre no seio da sociedade na hora de formar os novos líderes e assim não podemos definir como uma culpa individualizada como sempre gostamos de fazer e nos eximir de responsabilidade. Com isso, não estamos condenando as atividades de lazer, mas enfatizando que o exagero poderá prejudicar uma boa formação, porque a vida não é um passeio de transatlântico em que somente ficamos observando a paisagem.

Liderar é uma arte que encanta a maioria das pessoas, pois é muito interessante e instigante observar como aqueles que têm este dom fazem para influenciar os seus seguidores e liderados. São capazes de potencializar ao máximo pessoas simples ou grupos ao ponto de extrair o melhor de cada um deles. É bem verdade que dependerá se o líder for ou não de bom caráter; se o for, ele levará com suas atitudes em uma boa ou má direção, mas se não for do bem a situação será lamentável. Vide Boko Haran e tantos outros, mas principalmente em cada família e nas escolas. Quem estamos formando?

Mas é interessante evidenciar que liderar não é algo forçado ou manipulado e sim uma capacidade que os verdadeiros líderes possuem de inspirar e desafiar seus seguidores a irem além do convencional e superar seus limites e atingirem seus objetivos.

É de domínio público que temos diversos tipos de líderes: os carismáticos e envolventes os que são enérgicos; os calmos e fleumáticos; mas também temos pessoas que se tornam tão capacitadas tecnicamente em um campo de atuação ou profissão que se tornam líderes técnicos e por isso passam a comandar outras pessoas, empresas, cidades de maneira mais ampla, não mais somente na área de atuação especifica que eles têm a expertise. Ou seja, devido a uma habilidade especifica cresceram além.

Logicamente, todos sabem que neste mundo temos inúmeros líderes que são do bem e outros que são do mal, por isso muitos que são do mal, quando vão exercer esta capacidade de influenciar e comandar pessoas são personalistas, egocêntricos e visam manipular/dominar com o único objetivo de se favorecerem da posição de mando. Porém outros entendem que esta capacidade de liderar, influenciar deve ser dedicada às causas humanitárias, e sempre agirem com justiça e equidade onde estiverem a fim de beneficiar a maioria ou todos que estiverem ao seu alcance. Estes realmente são do bem.

É muito estranho e lamentável percebermos que no Brasil a maioria de nossos líderes são pessoas tão frágeis que dialogar para eles, construir consenso ou conviver com os que pensam diferente deles é muito difícil e assim eles sentem que o outro é o seu inimigo, pelo simples fato de não comungar com suas idéias e valores. Ou seja, são líderes contaminados com a síndrome do pensamento único. No entanto, isso ocorre nas igrejas, nas escolas, empresas, sindicatos, política, conselhos, judiciários e tantos outros espaços onde estes tipos de líderes estejam. Basta observarmos como as igrejas se dividem, pois ninguém quer submeter a outrem. Mas realmente em muitos casos os que estão no comando infelizmente são ensimesmados, messiânicos e não contribuem corretamente para formação de novos líderes probos.

Muitos têm uma exigência que nem eles conseguem cumprir. Vide os escândalos no Brasil que tem colocado nossa nação envergonhada no mundo inteiro e os mais novos vêem somente o que não é decente.Ou seja, somente trabalham com honestidade se tiver alguém vigiando.

É muito interessante vermos isto, porque temos inúmeras pessoas que afirmam serem líderes, mas sempre acreditam que estão em disputa com alguém, pois em todos os lugares que chegam querem comandar, mesmo não entendendo sobre o ramo, por isso pode-se afirmar que está faltando mesmo é o caráter ilibado e capacidade de liderar de verdade, por isso sempre eles precisam derrubar alguém, atrapalhar o sucesso de qualquer um que não reze por sua cartilha e que se submeta a eles.

Por esse motivo, gostaria de contribuir para discussão de como identificar os bons e os maus líderes, pois no Brasil estamos enfrentando uma crise terrível por falta de líderes probos e visionários e assim muitos que chegam ao poder não diferem em nada dos que saem, mas apenas desejam se beneficiar das benesses do poder ou se perpetuarem naquela função de mando, mesmo que manipulando todos e nunca visando o bem comum.

Vale destacar que não tenho a intenção de atacar ninguém que esteja em posição de mando, mas de maneira pedagógica e sistêmica dialogar sobre um tema tão emergente em nossa sociedade, pois chegamos ao limite da angústia por causa da falta de líderes autênticos que possam efetivamente contribuir para o crescimento e desenvolvimento de nosso pais em todos os níveis e áreas da sociedade.

Mas antes de pensarmos em liderar qualquer grupo, vale lembrar que precisamos ser líderes de nós mesmos, pois não iremos adiante se não formos pessoas com foco, disciplinadas, flexíveis quando necessário e resilientes. Mesmo porque o maior desafio não é liderar os outros, mas sermos protagonistas de nossa própria história, porque desta maneira não incomodaremos o brilho de ninguém e outros vão querer nos seguir ou nos usar como referências. Mesmo que enfrentemos dias difíceis, pois a força do caráter sempre será maior que qualquer circunstância adversa que um verdadeiro líder enfrente.

Quais são as características dos líderes autênticos e dos líderes falsos e fracos?

1ª O líder autêntico tem conhecimento e domínio da área que ele atua e não somente espera as condições ideais para agir, mas também é muito estrategista.

2ª O líder é disciplinado no que faz e sabe estabelecer metas para si a curto, médio e longo prazos, a fim de chegar ao nível de excelência sem ansiedades, desespero e tendo que negociar valores e princípios.

3ª O líder auto motivado consegue inspirar pessoas que estão próximas a ele nos dias que as circunstâncias não estiverem favoráveis inclusive para ele mesmo.

4ª O líder opta por estar sempre onde ele poderá desempenhar bem o seu papel, mas nem por isso deixará de auxiliar ou dar sua contribuição em outras áreas ou funções.

5ª O líder autêntico não tem o hábito de somente apontar defeitos e falhas, mas busca soluções nele mesmo e no coletivo para contribuir efetivamente com a solução dos problemas.

6ª O líder enfrenta os dias maus com perseverança, sem murmurar, querer descontar nos mais próximos e "indefesos", pois ele sabe que as reclamações da vida e das pessoas são uma demonstração inequívoca de fraqueza e contamina as pessoa negativamente, pois o líder autêntico estimula mais do que critica os próximos.

7ª O líder excelente consegue viver no palácio, no deserto, no ostracismo sem se amargurar, revoltar, pois não perderá sua excelência de vida por causa das circunstâncias que não estejam favoráveis naquele momento, mesmo porque não são os ambientes que o seduzem ao ponto de definir como ele(a) agirá e nem o seu estado emocional.

8ª O líder dos líderes é persistente, sempre procura novas oportunidades em meio às crises, não é vingativo, pois sabe que não deve ser passional para não agir com ódio. Pois entende que em meio às crises surgem grandes oportunidades e parceiros de verdade que poderão estender-lhe a mão a fim de construírem juntos nobres projetos.

9ª Os líderes falsos e fracos, reclamam diante de qualquer pressão, não aceitam que as derrotas e os fracassos fazem parte da vida, pois para eles(as) os dias difíceis não servem como inspiração para começar novos desafios e projetos.

10ª Os líderes falsos e fracos são corruptos, embusteiros, não reconhecem suas limitações e erros; mas sempre acusam os outros que estão em alguma posição que eles almejam, pois são invejosos, ingratos...

11ª Os falsos líderes utilizam exageradamente do marketing pessoal, aparência, “beleza”, falácias, manipulações, autoritarismo, pois não são capazes de liderar pelo exemplo, ou seja, têm um caráter duvidoso; por isso, escondem-se atrás de uma postura de mansinhos e humildes, mas por trás instigam a guerra e a difamação, manipulando os seus asseclas a viverem de ódio e rancores.

12ª Os líderes falsos e fracos agem na surdina, são oportunista, ingratos, bajuladores e sempre esperam uma oportunidade para derrubar os que estão em seus caminhos, mas na realidade eles são mesmo incompetentes. Pois vivem de comparações a fim de receberem elogios, por serem muito carentes. Assim foi Hitler e tantos outros que chegaram ao poder derrubando destruindo honra e dignidade de pessoas do bem.

13ª Os líderes falsos e fracos não conseguem reconhecer virtudes nos outros, mas vivem de apontar falhas e limitações das outras pessoas a fim de se auto afirmarem perante os demais e chegarem ou permanecerem no poder.

14ª Os líderes falsos e fracos quando elogiam é de maneira falsa, pois quando são acionados não apóiam, porque eles não realizam tarefas que os colocam em uma posição que não seja de mando.

15ª Os líderes falsos e fracos sempre estão envolvidos em ambientes hostis e circunstâncias nebulosas que geram duvidas e inseguranças para os que estão próximos a eles, pois constantemente precisam mostrar que eles mandam e, por isso, não se preocupam com o seus liderados devido o seu ensimesmamento/egocentrismo.

16ª Os líderes falsos, fracos são arrogantes não conseguem ir além das falsas aparências. Por isso, qualquer um que os ameace é por eles agredido, e eles esbravejam, o perseguem, o difamam, são-lhe indiferentes, desprezam-no, tentam anulá-lo. Ou seja, não têm capacidade de fazer alianças baseadas na honestidade, porque o seu caráter realmente é duvidoso; eles pensam que todos vão agir como eles(as).

A despeito de ser professor, médico, político, líder religioso, empresário, estudante, intelectual, se for um líder falso e fraco isto aparecerá mais cedo ou mais tarde, pois não conseguimos esconder a nossa essência por muito tempo. Ou seja,"pelos frutos conheceremos a árvore"

Os dias difíceis chegam para todos nós e eles têm o poder extraordinário de revelar nosso caráter, mesmo que não queiramos; mas assim é a vida daqueles que se dizem líderes. Talvez seja isso que estamos presenciando no Brasil, mas não queremos admitir.

As coisas que carregamos dentro de nós vão aparecer, mais cedo ou mais tarde, quando vermos o sucesso dos que considerávamos inferiores a nós, pois os líderes falsos e fracos incomodam demais com os ganhos dos outros, mas os líderes altruístas e verdadeiros sentem bem ao perceberem que outros são capazes de realizar melhor do que eles.

O árido deserto que a vida impõe a todos nós vai apresentar para nós mesmos e para os demais quem de fato somos, porque jamais uma pessoa consegue disfarçar por muito tempo o que ela não é.

“Quem nasceu para ser sardinha jamais conseguira ser tubarão”, ou seja, somos líderes falsos e fracos ou líderes autênticos e com excelência? O tempo e as circunstâncias vão nos revelar.

Líder não nasce pronto, mas precisamos estar dispostos a aprender com os bons exemplos que temos no país, fora do Brasil e também com aqueles que já partiram e deixaram um legado positivo para nós.

Talvez fosse importante observar o ensinamento deixado por Abraham Lincoln. Quando ele disse que: - "A maior habilidade de um líder é desenvolver habilidades extraordinárias em pessoas comuns".

Eloiso Matos

(Diretor Educacional do Colégio Objetivo Metropolitano, Presidente da ACIAT, Presidente do PHS/Trindade, membro da ATLECA , ex-diretor da UEG/Trindade, ex-presidente da Associação de Moradores do Bairro Frei Eustáquio/Anápolis e Ex-presidente do D.A da FFBS (Uni-Evangélica).

 

Prof.eloisomatos@yahoo.com.br