ATLECA

Publicações - Contos

ZERO

O imediato desceu ao portaló para recebê-lo. Pouco depois, telefonou para o comandante, informando tratar-se efetivamente de um médico, que se propunha realizar uma inspeção sanitária no navio. E que insistia em fazê-lo, mesmo cientificado de isso não ser possível, por se tratar de navio de guerra de outro país, em visita oficial. Mas o homem estava brabo, ameaçando não permitir a atracação da corveta. 

COLHEITA

João Marinho, que de marinho só tinha o nome por ser filho de Baltazar Marinho, dono do bar da esquina que mais vendia salame e chouriço português, somente para preservar a memória de seu avô lusitano que um dia ousara atravessar o mar e entrar tanto nestas paragens.