image 1 image 2

SONHO DE AMOR

Quando a vida se esvai, sem mais momentos,

E meu ser se dilui na eternidade,

o espaço e tudo mais, sem movimentos,

transformam-se em passado sem idade.

 

Quando se vão sentidos, sentimentos,

nem há sequer lembranças, nem saudade,

pois tudo o mais se faz  esquecimentos,

não há mais nada, além da liberdade.

 

Então, eu e você seremos nós,

luz e sombras espalham-se em penumbra,

sem fim, onde estivermos, onde for.

 

O final é o finalmente sós!

E nada mais existe e nos deslumbra

 

senão este meu, teu, sonho d'amor!

Autor: Floriano Freitas Filho